sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Carta de Piotr Kropotkin a Vladimir Illich Lenin (4 de Março de 1920)





Esta correspondência resultou de uma entrevista em 1919 entre Kropotkin e Lenin em Moscou, no curso da qual este pediu a Kropotkin para escrever-lhe a qualquer momento. A saber, essa carta não foi respondida. Nele, o teórico anarquista denuncia a forte burocracia que estava ocorrendo na Rússia soviética, e todos os problemas que isso causou. Por sua vez, propõe que se fomente uma ampla participação das massas na vida política.

Vários empregados do Departamento Postal e Telegráfico vieram a mim com a petição que ponha sua atenção a informação sobre a desesperada situação deles. Posto que este problema não só concerne ao comissariado de correios e telégrafos unicamente, mas também a condição geral da vida cotidiana na Rússia, apressei-me a transmitir sua demanda.

Você sabe, é claro, que morar no distrito de Dimitrov com o salário que esses funcionários recebem é absolutamente impossível. É impossível até mesmo comprar um quilo de batatas com ele, eu sei disso por experiência pessoal. Em troca, eles pedem sabão e sal não há nada. Uma vez que o preço da farinha subiu, é impossível a compra de oito quilos de grãos e cinco quilos de trigo.

Em suma, sem receber provisões, os funcionários estão condenados a uma fome muito profunda. Enquanto isso, em paralelo com o aumento dos preços, os suprimentos escassos de que os funcionários de Correios e Telégrafos receberam Centro de abastecimento do comissariado de Correio e Telégrafo, as mesmas que foram acordadas referentes ao decreto 15 de agosto de 1918: 8 libras de trigo por empregado e de 5 libras para cada membro da família incapaz de trabalhar, não são enviadas de dois meses para cá. Os centros de abastecimento locais não podem distribuir o seu mantimento,e a petição que os 125 empregados da área de Dimitrov feita à Moscou continua sem resposta. Faz um mês, um dos funcionários escreveu a você pessoalmente, mas até agora não recebeu uma resposta.

Considero um dever de testemunhar que a situação desses funcionários é verdadeiramente desesperadora. Isso é óbvio para ver seus rostos. Muitos estão se preparando para sair de casa sem saber para onde ir. E, embora seja justo dizer que eles fazem o seu trabalho conscientemente; se familiarizaram com seu trabalho, e perder esses trabalhadores não será útil para a vida da comunidade local de forma alguma. Só acrescentarei que todas as categorias de funcionários soviéticos em outros ramos da obra são encontrados na mesma situação desesperadora.

Em conclusão, não pude evitar mencionar alguns aspectos da situação geral ao lhe escrever. Viver em um grande centro como Moscou impossibilita conhecer as verdadeiras condições do país. "Conhecer verdadeiramente as experiências comuns" significa que você vive nas províncias, em contato direto e próximo à vida cotidiana com as necessidades e infortúnios dos famélicos adultos e infantis que vêm ao escritório para pedir sequer a permissão para poder adquirir uma lâmpada de querosene barato. Não tem solução todas essas desventuras para nós agora.

É necessário acelerar a transição para condições mais normais de vida. Nós não continuaremos assim por muito tempo, estamos caminhando para uma catástrofe sangrenta.

Uma coisa é indiscutível. Mesmo que a ditadura do proletariado fosse um meio adequado para enfrentar e derrubar o sistema capitalista, o que eu profundamente duvido, é definitivamente negativo, inadequado para a criação de um novo sistema socialista. O que se é necessário são instituições locais, forças locais, mas elas não existem, em nenhum lugar. Em vez disso, onde quer que você vire a cabeça, há pessoas que nunca ouviram falar da vida real, que está cometendo os erros mais graves para os quais foi-se pago um preço de milhares de vidas e a ruína de distritos inteiros.

Sem a participação das forças locais, sem uma organização a partir da base dos camponeses e trabalhadores por eles mesmos, é impossível construir uma nova vida.

Pareceu que os soviéticos serviriam precisamente para cumprir esta função criar uma organização de base. Mas a Rússia tornou-se uma República Soviética só de nome. A influência dirigente do Partido sobre as pessoas, Partido que está principalmente constituído de recém-chegados ─ pois os teóricos comunistas estão, em sua maioria, em grandes cidades ─, já destruíram a influência e energia construtiva que tiveram os sovietes, esta promissora instituição. No presente momento, são os comitês do partido, e não os soviéticos, que têm a direção na Rússia. Sua organização sofre os defeitos de qualquer organização burocrática.

Para poder sair desta desordem mantida, a Rússia deve retomar todo o gênio criativo das forças locais de cada comunidade, o que, a meu ver, pode ser um fator na construção de uma nova vida. E quanto mais a necessidade de retomar este caminho seja compreendida, mais serão as pessoas estarão dispostas a aceitar novas formas de vida social. Se esta situação continuar, mesmo a palavra "socialismo" será transformada em uma maldição. Isso foi o que aconteceu com o conceito de "igualdade" na França durante os quarenta anos após o endereço dos jacobinos.

Com camaradagem e carinho.

Piotr Kropotkin



(Tradução: GEAPI - Grupo de Estudos Anarquistas do Piauí. Texto original aqui)

Nenhum comentário:

Postar um comentário